Sexta-feira, 20.11.09

Inicialmente afirmei que não iria tomar a vacina da gripe A, não sei porquê, mas não tinha um bom feeling quanto à mesma. Não pelo alarido e alarmismo que se fez em torno da pandemia e da indústria farmacêutica, na urgência de produzir uma vacina, não por ter medo, só tinha um mau pressentimento que aos poucos se foi desvanecendo...

 

Sou uma mulher da ciência, tenho que confiar no trabalho de outros cientistas. Além do mais, por ter problemas de saúde se contrair a gripe A posso, eventualmente, ter mais dificuldade em ultrapassá-la ou ter mais complicações, tudo isto e a opinião de dois dos meus médicos, um dos quais o meu neurologista (em que confio bastante), levou-me à decisão final.

 

Claro que apesar da decisão, de tomar ou não, não ter sido fácil e não ter sido tomada de ânimo leve não podia ficar sem uma peripécia associada.

Ora bem quem não sabe, na declaração que o médico nos passa para termos direito à vacina da gripe A, vem lá explícito que devemos ligar para o centro de saúde afim de marcar a vacinação. Até aqui muito bem e totalmente de acordo, mas depois de ligar disseram que para marcar tinha que me deslocar ao centro de saúde e entregar a dita declaração (que bonito!). Lá fui eu no dia seguinte ao meu 'querido' centro de saúde, chego e vou para marcar...ahh e tal não pode ser porque o médico só assinalou 2ª fase e não o grupo a que pertence, eu como não tinha a certeza calei-me e fui logo ao meu médico,  este trabalha numa clínica privada e não tive que esperar para ter uma consulta, para me colocar uma mísera cruz no grupo A. É triste, porque como já calculava....é ridículo terem-me pedido a cruz no grupo, uma vez que apenas o grupo A é dividido em 2 fases, 1ª e 2ª, logo se tinha 2ª fase assinalado...guess what?! Voltei e marquei a vacina no mesmo dia, ainda estava à espera que a simpatiquíssima da senhora me dissesse alguma boca por ter ido tão rápido ao médico, mas fez mil sorrisos ao contrário da primeira vez e não soltei nada cá para fora (quando é que vou aprender a não ficar calada!).

 

Assim, depois de muito reflectir...decidi que vou tomar a vacina da gripe A. É já amanhã.

 

Microsite da Vacina da Gripe A (DGS)


sinto-me:

publicado por Teresa às 18:46 | link do post | comentar | ver comentários (7)

Quarta-feira, 25.03.09

Não costumo ir muitas vezes ao centro de saúde. Não é por nada, mas a minha médica deixa muito a desejar e como costumo dizer "sou complicada demais para ela", não desfazendo dos outros médicos dos centros de saúde espalhados pelo país, quero crer que existem por aí bons médicos de clínica geral.


Ontem lá fui eu ao centro de saúde porque precisava de receitas e análises, chego ao 12h para tirar a senha.


As senhas são colocadas à 13h, ok...tenho 2 pessoas à minha frente, não é grave. Busco o meu livro na mala e começo a ler, estava tão interessante...as conversas das pessoas que iam chegando sobre a falta de senhas, as complicações que o simplex trouxe e a crise aborreceu-me e fiquei sem vontade de ler!


Entretanto chega a avó yo yo que ia marcar uma consulta para ela e fez o favor de me acompanhar, eu quase que tenho medo da médica coitada, ela não faz mal a uma mosca mais parece um zombie em pé, acho que lhe encostassem um dedo é capaz de cair, mas atrofia-me e a companhia da avó yo yo soube muito bem. Depois de colocarem as senhas e chegar ao meu número, desço ao 1º andar para outra sala de espera.

Espero e desespero, porque a médica anda de um lado para o outro até começar atender doentes e quando começou atender, depois de 3 utentes atendidos, cansou-se e teve que ir fumar um cigarrinho, isto é verídico e diz quem sabe, que ela não consegue atender mais que 3 utentes seguidos!


Chega a minha vez, lá entro eu e avó...mas entretanto a médica perde-se porque encontrou a Mariazinha e ficou a conversar! Aparece com aquele ar alucinado, mas quase morto...e pergunta-me o que é que eu preciso, foi tão directa que assusta. Eu vou pedindo as receitas para tudo que quero e a minha médica conhece-me tão bem que nem o meu nome sabia! Adiante, é assustador vê-la atender um utente... A passar as receitas treme a escrever que parece vara verde ao vento, não sei se balança as pernas por debaixo da mesa, mas a cadeira faz aquele barulho irritante durante toda a consulta! É digno de comédia.

Diz a minha avó que a médica estava de bom humor, que tive sorte que me passou tudo...no fim da consulta eu despeço-me normalmente e a avó yo yo sai-se com esta para a médica "está muito bonita sra.doutora, mudou a cor do cabelo não foi?" ao que a médica responde toda derretida "foi mudei!" ó minha nossa, poupem-me...conselho da minha avó "ela gosta destas graçolas, fica bem disposta". NÃO!!! Tirem-me deste filme!

 

Foi assim a minha ida ao centro de saúde, saio sempre de lá tão bem disposta com tanta palhaçada! Ministério da Saúde ou quem de direito, veja estes casos e dêem a reforma a estes senhores(as) que já não estão em condições próprias para cuidarem da saúde dos portugueses.

 

P.S.- Só para apimentar a coisa porque hoje sinto-me terrivelmente maléfica, a minha avó já pediu à médica para lhe passar receita para a minha pílula, não passou porque tenho de ser eu a ir a uma consulta com o meu nome, ok tudo bem, as regras são para se cumprir. E quando ela passa a mesma pílula para mim ao meu TIO F., digam lá que não é cómico! Outra da zombie O., medir a tensão e auscultar qualquê...nem nunca lhe vi o auscultador, deve-lhe pesar no pescoço e era capaz de cair para o chão a senhora coitada, o meu pai quando vai a uma consulta, enquanto espera por ela porque ela arrasta-se mais que caracol mede a tensão a ele próprio LOL E digno de ser ver é a confusão de papéis que reina na secretária dela, o meu pai por vezes endireita-lhe os papéis e diz-lhe onde estão os que ele precisa, é digno de ver e eu já assisti!


sinto-me:

publicado por Teresa às 10:17 | link do post | comentar | ver comentários (4)

Quarta-feira, 03.12.08

Na semana passada fui com o meu pai ao centro de saúde. É um local que não costumo ir muitas vezes, não por precisar poucas vezes de cuidados médicos (infelizmente), mas sim porque cada vez que vou a um centro de saúde ou urgência hospitalar costumo sair de lá pior do que entrei, sou um bixo raro, mas adiante...como tal foi uma 'visita' curiosa em que observei aquilo que deve ser o dia-a-dia de um centro de saúde.

 

Constatei que as instalações e aparelhos que têm até estão boas dado que é do estado, não tem o conforto e luxo que algumas clínicas privadas têm, mas está muito bem para os efeitos que têm, a única coisa que tenho apontar é que são sítios sempre muito sisudos, não há cores alegres nas paredes (em Londres os hospitais são coloridos, isso anima uma pessoa) e sorrisos das pessoas que trabalham nestes locais para com os utentes também há poucos...E aqui chegamos à parte fundamental da questão! Entre queixas e demoras oiço um senhor dizer "isto até está muito avançado na parte tecnológica, o problema é que em termos de recursos humanos tem vindo a diminuir", ora bem esta também foi a minha opinião...até podemos ter condições boas em que somos assistidos, mas não temos a simpatia, o sorriso, a ajuda mínima da pessoa que nos atende (há sempre excepções, estou apenas a dar a minha opinião da generalidade). Todos temos direito a ter um dia mau, a não estar com paciência para grandes festas e conversas, mas um sorriso para quem está a ser atendido não custa então quando estamos doentes sabe tão bem e só sabem dificultar a vida aos utentes é incrível. E bem sei que isto que assisti no centro de saúde passa-se na maioria dos locais públicos.

 

Fui tratar de uns assuntos relativos à minha isenção, isto porque no dia que fiz 25 anos deixei de estar isenta sabe-se lá porquê...pois ninguém sabe explicar, o que é certo é que não faz sentido porque tenho um atestado de incapacidade que é vitalício como tal a minha isenção tem todo o sentido que seja vitalício, qualquer pessoa de bom senso entende isso. Bem felizmente tive sorte e fui atendida por uma "boa pessoa", uma pessoa que tem perfil para estar num local destes, que tem consciência e bom senso, resolveu-me a situação em menos de 1minuto, fiquei com o assunto da isenção tratada, vitalícia como tenho direito.

 

Eu não sou daquelas pessoas que está sempre a criticar o país e o governo, pelo contrário, as pessoas que me conhecem sabem o quanto sou patriota e é difícil ouvirem-me falar 'mal' do nosso país, mas criticar o que nos parece que está mal acho que é um dever de todos como cidadãos. Para mim um dos grandes males do nosso país são as pessoas, as mentalidades, a falta de entreajuda entre as pessoas...vivemos na selva do salve-se quem pode, são as pessoas todas que constroem o que um país é, se não nos unirmos e ajudarmos nunca chegaremos a lado nenhum!

 

P.S.- O título foi uma brincadeira e mera referência, estilo os livros da Anita :)


sinto-me: apeteceu-me falar sobre isto!
música: Mafalda Veiga - Os Imortais

publicado por Teresa às 19:04 | link do post | comentar | ver comentários (4)

Quem sou & onde estou...

Caracolinho é alcunha claro está! Digo-vos que me assenta que nem uma luva...Gosto da minha concha, de me sentir protegida, quanto ao resto... tenho um mundo inteiro para descobrir e desbravar, talvez me encontre verdadeiramente num recanto qualquer. A vida é feita de encontros e desencontros e agora começo a percebê-lo!

Perfil

Setembro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30


101 Things on 1001 Days

Lista de Tarefas


(49/101) 49% Realizadas!
Posts recentes

Eu e a vacina da gripe A

Centro de saúde [2º round...

Caracolinho vai ao Centro...

comentários recentes
Boa tarde,O anti inflamatório que tomei foi o beta...
Não, isto aconteceu num laboratório! :)
Boa noite,Qual anti inflamatório seu médico lhe in...
faz parte de um parque natural??
estes comentadores sao muito perversos!! o:
Tags

todas as tags

Posts mais comentados
Links
Dedução de despesas com saude animal em IRS
Baú de posts
blogs SAPO